The Witcher 3 é o terceiro jogo da franquia The Witcher, iniciada no final de 2007 para computador. Curiosamente, o próprio The Witcher já é uma continuação de uma série de livros polonesa chamada “Wiedzim.”

Conta a história de Geralt de Rivia, um bruxo caçador de demônios por recompensa (witcher), ao longo de sua jornada e vivência no mundo. Embora o jogo de assemelhe bastante com Skyrim, ao mesmo tempo eles não são tão parecidos. A começar pela história. Em Skyrim temos um começo, meio e fim (“Oi, você é um Dragonborn. Salve-nos, Dragonborn! Parabéns, vocês nos salvou — minha bunda é sua!”). Já na saga The Witcher, não é bem assim que funciona. O jogo tem sim seu começo, meio e fim, mas o plot de cada jogo é apenas um trecho da vida de Gerart.

the-wticher-gerart
Gerart de Rivia, The Witcher 3

[Gráficos : ♦♦♦♦◊ 4,5]

Os gráficos de The Witcher 3 são muito bons e bem consistentes. Ótimas texturas, detalhes para todo lado. Claro que não é perfeito e tem uma falha aqui ou ali. Mas devemos sempre lembrar que é um jogo, e não um filme. Devido as dimensões e possibildiades do jogo, não podemos esperar os gráficos mais top de linha que se vê num cinema, por exemplo. Para o que o jogo oferece e a ambientação, os gráficos estão um pitelzinho. Só não dou 5 porque tem certas coisas que você olha e se pergunta “Cara… pra que essa merda?”

[Jogabilidade : ♦♦♦♦◊ 4,0]

A jogabilidade é um pouco travada e limitada de início, tornando o jogo bastante complicado no começo. Mas assim que você pegar os macetes e subir aguns níveis (adquirindo mais habilidades) você já consegue lidar bem melhor com várias situações que antes você queria xingar a mãe de alguém. É um jogo bem gostoso de jogar, com calma, aproveitar a história, matar uns bichos. Várias quests e sidequests — e o interessante é que suas decisões influenciam no caminhar da história, inclusive das sidequests. Fora o jogo em si, tem também o “Gwent” (esse é para matar a saudade de Final Fantasy VIII) que é um jogo de cartas próprio de The Witcher. Você pode comprar cartas de mercadores, encontrar pelo mundo ou adquirir ao vencer alguns NPCs numa partida de Gwent.

[História : ♦♦♦♦♦ 5,0]

A história de The Witcher 3 é bastante imersiva e lembra bastante um filme. Tem romance, aventura, entriga e bastante cenas divertidas e engraçadas. No desenrolar de tudo isso você, o jogador, chega a sentir dó, raiva, desgosto, desdém, e quer mandar aquele gordo babaca pra casa do caralho. O fato de que suas atitudes e escolhas influenciam no caminhar da história te dá aquela sensação de ser o Gerart. E o mais bacana é que a história flui normalmente. Você só vai descobrir que tinha outro rumo a tomar quando conversar com seu amigo e ele falar “Pô, o gordo entra pro seu time e ele é mó forte.” e vc pensa “Ué, como assim? Ele revive? Porque eu matei o gordo.”

[Som & Música : ♦♦♦♦◊ 4,0]

Os sons do jogo são bem condizentes, aumentando o realismo do jogo. A trilha sonora então, com essa temática medieval, dá toda a cara do jogo.


Legenda:
 Notas variam de 0 a 5, sendo:

  • 0 = “Pelo amor de deus, que bosta é essa?!”;
  • 1 = “Muito ruim”;
  • 2 = “Ruim”;
  • 3 = “Ok/Bom/Irrelevante/Aceitável”;
  • 4 = “Legal / Muito bom”;
  • 5 = “Admirável “;

⇒ Vale lembrar que uma nota 5 não é sinônimo de perfeição ou melhor de todos. A análise de uma categoria não é individual. Leva-se em consideração plataforma, temática, enredo etc. Então as vezes um jogo desenhado, por exemplo, pode ganhar uma nota 5 em gráficos.

Anúncios